Entrevista: Nilza Amaral

0
Por

foto_nilza_Nilza Amaral nasceu em Piracicaba, residiu em várias cidades do interior e terminou seus estudos em São Paulo. Tem obras publicadas em português, inglês e espanhol dentre elas, O dia das lobas, O florista, Amor em Campo de Açafrão, Modus diabolicus. A prisioneira do Espelho, Expulsão do Paraíso, além de coletâneas e ensaios. Atualmente reside em Campinas e é Acadêmica da Academia Campineira de Letras e artes.

“A mão decepada” se passa em um cenário praticamente surreal, com elementos do fantástico e da ficção científica. De onde surgiu este conto, qual foi a inspiração para ele e para o jardineiro?

Escrevo para várias revistas de ficção cientifica, como a Scarium e outras. A inspiração para esse conto foi a holografia, que havia estudado dias antes. Sobre o jardineiro, a neutralidade do personagem e o distanciamento do autor quando escreve são primordiais. O autor não qualifica o personagem, na verdade a personagem domina o texto.

Como é o seu processo criativo?

Tenho vários. O principal é a imaginação. Mas toda escrita vem com esforço.

Você tem 20 romances publicados, além de uma série de contos. Sente-se mais à vontade escrevendo obras curtas ou mais longas?

Gosto de ambos os métodos. O meu lado gótico responde mais aos textos curtos. Mas meu lado romancista gosta de textos bem elaborados,

Você disse em entrevistas que concursos literários e coletâneas podem ajudar novos escritores a serem descobertos, inclusive ajudou a organizar alguns. Poderia contar um pouco mais sobre isso?

Realmente, ganhar concursos abre portas. Geralmente o juri é de bons escritores e se o autor consegue o prêmio é um grande incentivo. Minha novela A Balada de Estóica foi publicada por sugestão do crítico Geral G.Ferraz, na época, do juri. Foi meu primeiro livro publicado, pela Editora Escrita. Depois a mesma editora publicou “O dia das lobas”, uma novela que teve muita saída e foi adotada em várias escolas.

O que tem escrito, produzido ou pronto para sair que pode nos adiantar?

Acabo de participar da coletânea Os lobisomens também amam.E mandei para a editora um romance recém terminado: Roteiros para lugar nenhum.

Para quem quiser saber mais sobre seus romances e contos, onde pode encontrar mais informações?

Basta procurar por meu nome no Google, há muita informação sobre mim e meus livros, que estão nas livrarias e na Estante Virtual (estantevirtual.com.br/busca?&qau=nilza+amaral) a preços módicos. Mais informações também em ube.org.br/biografias-detalhe.asp?ID=745.

Editor
Editor
Rodrigo van Kampen é escritor, editor da Revista Trasgo, redator publicitário e foge de moto nos fins de semana. Já publicou em coletâneas da Aquário, Draco e em publicações independentes. Mora em Campinas com sua esposa e uma vira-lata, escreve em viverdaescrita.com.br e pode ser encontrado no Twitter como @rodrigovk.

Gostou desse conteúdo? Seja nosso padrinho ou madrinha e nos ajude a trazer mais autores e autoras na Trasgo! Com a partir de um real por mês você colabora com a revista e tem acesso a cursos, promoções e mais!

padrim-site Clique no banner ou acesse padrim.com.br/trasgo
Leia o conto de Nilza Amaral, A Mão Decepada, aqui na Trasgo!

Comente

Antes de enviar um comentário, por favor leia os Termos de Uso.