Galeria – Alex Leão

0
Por

01-alex

02-alex

04-alex

05-alex

06-alex

07-alex

03-alex

08-alex

10-alexTrasgo2_capa_v2

Alex-leao

Alex Leão nunca trabalhou em outra coisa que não envolvesse arte. De desenhos de perspectivas para móveis planejados nos anos 80, passando por charges e cartuns para jornais e direção de arte em agências de publicidade, animação 2D e 3D, até o design de interfaces interativas para a web e mobile, sempre desenhou pra ganhar a vida.

Vamos começar pela capa da Trasgo. O conceito veio do conto “Cinco Bilhões”, mas você tomou algumas liberdades em relação ao conto. Por que essas escolhas?

Pela própria natureza do texto, um conto, a descrição física das coisas e pessoas não é tão preciso. O que há são apenas sugestões e isso é um prato cheio para exercitar a imaginação!

Qual foi o processo para a construção dessa capa?

Comecei o processo procurando referências gerais sobre o tema da ilustração. Revisitei trabalhos de outros ilustradores, na internet principalmente, mas também em minha coleção de livros de arte e ilustração. Depois de estar positivamente influenciado por esses trabalhos, gosto de testar as ideias rabiscando muito em papel ou no iPad. Faço desenhos rápidos levando em consideração o texto e o formato da imagem. Depois de ter alguns sketches com ideias suficientemente sólidas, conversamos para validar algumas delas. Com a direção a ser seguida, iniciei o processo de desenho e pintura da imagem, 100% no iPad neste caso, usando o Procreate App.

Quais as ferramentas que você mais utiliza? Você se sente confortável desenhando no iPad?

Ultimamente tenho usado o iPad em quase todos os meus trabalhos. De início usava o próprio dedo para desenhar e pintar, mas hoje prefiro usar uma stylus. O iPad se revelou para mim uma ferramenta maravilhosa para desenhar e pintar, inclusive on the go.

Conte um pouco da sua carreira, de quando foi chargista até chegar na Galinha Pintadinha e daí em diante.

Sempre trabalhei com desenho. Ajudava meu pai num pequeno estúdio de pintura de placas e sinalizações em São Paulo capital, fazendo lettering design e logotipos. Em 86 me mudei para Brasília e lá trabalhei por um ano com desenho de perspectivas para móveis planejados. Mudei para Campinas e trabalhei com direção de arte em agências de propaganda e como cartunista nos dois principais jornais da cidade.

Quando a computação gráfica começou a engatinhar no pais, montei um pequeno estúdio multimídia, o Nex Multimeios e depois o site Emotioncard. Publiquei a primeira animação multimídia da Internet brasileira em meados da década de 90, e com o Emotioncard também fomos pioneiros, publicando cartões virtuais animados em Flash antes de qualquer outro site no Brasil.

Com o sucesso do Emotioncard, recebi o convite de um produtor musical para criar e animar os videoclipes da Galinha Pintadinha, junto com meus colegas animadores Mina Leão (minha irmã) e Ana Paula Indalêncio. Participei dessa iniciativa até a finalização do DVD #1, quando por divergências financeiras saí do projeto, mantendo porém direitos autorais e sobre royalties. No final de 2012 recebi um convite da Movile para colaborar com o projeto do PlayKids.

Sua experiência não é tanta neste traço, você está mais acostumado a caricaturas e ilustração mais voltada ao cartum. Por que comprou a briga e pediu para ilustrar para a Trasgo?

Não tenho tanta experiência comercial nesse traço, já que o mercado de fantasia no Brasil é bem tímido. Mas nas horas vagas costumo desenhar e pintar muito usando a técnica que utilizei na capa da Trasgo #2. Desde criança curto muito sci-fi e desenhar a capa da Trasgo foi uma oportunidade de finalmente colocar a mão na massa de um projeto com essa temática.

Quais são seus artistas favoritos, referências?

Muitos! Desde pintores do romantismo, passando pelos impressionistas Monet e Manet até Norman Rockwell e outros. Atualmente tenho gostado muito de acompanhar, pela Internet, artistas da indústria de cinema e games responsáveis pelas artes conceituais dos filmes.

Você está trabalhando em algum projeto pessoal, algo assim?

Desde que me entendo por gente tenho projetos pessoais. Alguns deles saíram do papel, como a Nex Multimeios e a Emotioncard. Outros aguardam o momento certo de virarem realidade. Tenho alguns roteiros de quadrinhos e animação que definitivamente precisam se materializar!

Você tem um portfolio online, onde podemos encontrar mais material seu?

Em casa de ferreiro, o espeto de pau… Tenho um blog onde coloco alguns trabalhos, mas não posso dizer que seja um portfólio online… Lá se vão cerca de 25 anos de muito trabalho, então o visitante vai encontrar trabalhos muito diferentes em estilo e de épocas e áreas bem distintas: Alexleao.wordpress.com

Editor
Editor
Rodrigo van Kampen é escritor, editor da Revista Trasgo, redator publicitário e foge de moto nos fins de semana. Já publicou em coletâneas da Aquário, Draco e em publicações independentes. Mora em Campinas com sua esposa e uma vira-lata, escreve em viverdaescrita.com.br e pode ser encontrado no Twitter como @rodrigovk.

Gostou desse conteúdo? Seja nosso padrinho ou madrinha e nos ajude a trazer mais autores e autoras na Trasgo! Com a partir de um real por mês você colabora com a revista e tem acesso a cursos, promoções e mais!

padrim-site Clique no banner ou acesse padrim.com.br/trasgo

Comente

Antes de enviar um comentário, por favor leia os Termos de Uso.